Com um recorde de US $ 1,4 trilhão em ativos de sustentabilidade, os investidores estão sinalizando uma ruptura com os combustíveis fósseis

12/01/2017 12:11

Apesar do presidente eleito Donald Trump focar sua administração em combustíveis fósseis, a comunidade dos investidores está se movendo a toda velocidade na direção oposta, apostando na redução de emissões e no apoio à energia limpa.

Eventos recentes apontam essa tendência. Investidores vêm diminuindo o peso de ações ligadas à combustíveis fósseis em seus portfólios. Critérios como a mudança climática têm moldado o investimento de US$1,4 trilhão de ativos sob gestão, um aumento de mais de cinco vezes desde 2014. A tecnologia limpa é agora uma consideração incorporada por gestores financeiros, com US $ 354 bilhões em ativos sob gestão. A licitação de um parque eólico nos arredores de Nova York teve tantas ofertas no leilão que teve de ser prorrogado por um dia.

“A energia solar já é a opção de menor custo em partes do mundo e espera-se que vença o carvão globalmente até 2025.”

oil_money

Leia a matéria completa aqui.

Fonte: https://www.greenbiz.com/article/record-14-trillion-sustainability-assets-investors-bail-fossil-fuels.

Ministério do Meio Ambiente recebe novas adesões em acordo sobre logística reversa de lâmpadas

28/12/2016 11:27

Logistica-Reversa

O objetivo é garantir que a destinação final das lâmpadas fluorescentes esteja ambientalmente adequada com a Política de Resíduos Sólidos.

O Ministério do Meio Ambiente recebeu vinte novas adesões ao Acordo Setorial para implantação do Sistema de Logística Reversa de Lâmpadas Fluorescentes de Vapor de Sódio e Mercúrio e de Luz Mista. A lista de fabricantes que aderiram a esta iniciativa praticamente dobrou e ainda há outros processos em andamento. O Acordo Setorial foi firmado no dia 27/11/2014 e publicado no Diário Oficial de 03/12/2015.

O processo de construção do acordo setorial de eletroeletrônicos faz parte das exigências da Lei 12.305/2010, que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS)O acordo setorial contempla as especificidades no descarte de cada categoria de produtos, desde os celulares até os eletrodomésticos de grande porte.

Para mais informações sobre a matéria: aqui e sobre o PNRS: aqui.

 

images

Florianópolis proíbe produção e comercialização de foie gras

15/12/2016 11:01
22182132

Em agosto de 2015, pelo menos 50 pessoas protestaram em frente a um restaurante de Florianópolis, que organizava um festival com a iguaria Foto: Charles Guerra / Agência RBS.

O prefeito Cesar Souza Jr. sancionou no dia 12 de dezembro a lei complementar 593/2016  que proíbe a produção e a comercialização de foie gras.

O foie gras é o órgão doente de um ganso ou pato, engordado de maneira forçada, várias vezes por dia, com um tubo de metal de 20 a 30 centímetros enfiado na garganta até o estômago.

Em junho de 2015, São Paulo tornou-se a primeira capital brasileira a proibir a produção e o comércio de foie gras. Outras cidades também aprovaram leis similares, como Blumenau, Sorocaba, Santa Bárbara D’Oeste e Aparecida.

Leia a matéria completa aqui.

 

Garota de 17 anos inventa sistema portátil que limpa água e produz energia

17/10/2016 18:14

 

A pequena tecnologia é capaz de purificar a água ao mesmo tempo em que gera energia, ideal para comunidades isoladas.

cynthialammontagem

sistema portátil capaz de purificar a água ao mesmo tempo em que gera energia

 

Com apenas 17 anos, a jovem australiana Cynthia Sin Nga Lam desenvolveu um sistema portátil que pode facilitar muito a vida de pessoas que vivem em comunidades isoladas. A pequena tecnologia é capaz de purificar a água ao mesmo tempo em que gera energia.

A invenção foi apelidada de H2prO e tem como base apenas dois agentes principais: dióxido de titânio e luz. Ao entrar em contato com a luz, o titânio absorve a energia ultravioleta e gera radicais que auxiliam o processo de oxidação de compostos orgânicos, que se decompõem para produzir CO2 e H2O.

O dispositivo é pequeno e composto por duas partes. A unidade superior é usada para a purificação da água, enquanto a divisão inferior serve para a geração de hidrogênio, conectada a uma célula de combustível e à unidade base para a filtração da água.

Leia a matéria aqui.

Fonte: CicloVivo.

Respeitar os ecossistemas é crucial para o desenvolvimento sustentável

29/09/2016 13:31

Precisamos mudar os padrões de consumo na medida em que cresce a população mundial.

Precisamos mudar os padrões de consumo na medida em que cresce a população mundial.

Até 2050, o mundo contará com nove bilhões de habitantes. Isso não significa apenas que haverá dois bilhões de bocas a mais para alimentar, mas também que essas bocas consumirão mais do que agora. Essas mudanças vão gerar uma pressão sem precedentes sobre os recursos naturais mundiais, segundo um novo informe do Painel de Recursos Internacionais (PRI), do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) intitulado  “Coerência das Políticas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável: Uma Perspectiva dos Recursos Naturais

A menos que essa agenda se concentre na proteção e no respeito da riqueza limitada do planeta, as metas de erradicação da pobreza e a garantia de uma vida digna para as gerações atuais e futuras ficarão pelo caminho, segundo os especialistas.

O informe também exorta as autoridades políticas a adotarem práticas baseadas na estratégia da “economia circular”, na qual a reutilização, reciclagem e reúso dos produtos reduzem os resíduos ao “desacoplar” a utilização dos recursos naturais do progresso econômico.

Leia a matéria completa aqui.

Leia o relatório aqui : “Coerência das Políticas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável: Uma Perspectiva dos Recursos Naturais

Sobre o Painel Internacional de Recursos

O Painel Internacional de Recursos é um grupo de mais de 30 especialistas e cuientsitas renomados internacionalmente e mais de 30 governos nacionais. É sediado na Divisão de Tecnologia, Indústria e Economia do PNUMA. Foi estabelecido em 2007, como um órgão científico para fornecer avaliações científicas relevantes e independentes aos governos e outras partes interessadas quanto ao uso efetivo e eficientes dos recursos naturais ao longo de todo o ciclo de vida. Os relatórios do Painel têm sido usados e indicados por organizações internacionais, governos nacionais, grupos de reflexão e organizações de pesquisa, academia, indústrias e sociedade civil, nas discussões e planejamento de novas políticas que levem em consideração a produção e consumo sustentáveis e eficientes de recursos.

Fonte: envolverde.com.br

Pacto Global pede compromisso de candidatos a prefeito com redução das perdas de água | ONU Brasil

28/09/2016 12:16

 

A Rede Brasil do Pacto Global, por meio do “Movimento Menos Perda, Mais Água”, lançou na semana passada (22), em São Paulo, Carta aos Prefeitos na qual pede que candidatos à prefeitura se comprometam com a temática daredução das perdas de água em suas gestões, caso eleitos.

Conheça a Carta aos Prefeitos.

agua_desperdicio

 

Leia a matéria completa aqui: Pacto Global pede compromisso de candidatos a prefeito com redução das perdas de água | ONU Brasil.

A pressão é um importante instrumento de mudança. CAMPANHA SANEAMENTO JÁ (Petição)

27/09/2016 19:49

A  campanha Saneamento Já está mobilizando a população pelo direito ao saneamento básico universal, ao esgoto tratado para todos, e à água limpa em rios e praias brasileiros.

Além de eventos de coletas de assinaturas em diferentes cidades, conta com uma petição disponível para assinaturas na página www.sosma.org.br/saneamentoja.

A pressão é um importante instrumento de mudança.

Não é proposta de mais leis, apenas a exigência do cumprimento das leis atuais. Se a Constituição de 1988 fosse respeitada, não haveria lançamento de esgoto sem tratamento em nenhum corpo d’água no país. Caso haja necessidade de elaborar alguma mudança na legislação, como por exemplo, o fim de Rios Mortos (rios de classe 4), não será por meio de lei e sim por resolução do CONAMA, já previsto na petição.

v3-01

Assine a petição AQUI.

v3-05 v3-04 v3-03 v3-02

Projeto de lei põe em risco áreas em torno de unidades de conservação

27/09/2016 18:14

Um projeto de lei na Câmara dos Deputados quer alterar o Sistema Nacional de Unidades de Conservação (Lei do Snuc), com o objetivo de reduzir as zonas de amortecimento que ficam em torno de parques nacionais, reservas, estações ecológicas e outras unidades. 

Essas áreas tampão estabelecidas em lei servem para absorver os impactos indesejados das atividades como poluição, introdução de espécies invasoras e avanço da ocupação humana. Funcionam principalmente nos casos das unidades de conservação próximas a áreas intensamente ocupadas.

zonasdeamortecimento

Atividades humanas entorno das UCs podem impactar biodiversidade.

E é principalmente nestes casos que o projeto de lei (PL 5370/16) pode acabar prejudicando as áreas protegidas.

Se aprovada na CDU, a matéria segue para a análise das Comissões de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (CMADS) e de Constituição e Justiça (CCJ), e não precisará passar pelo plenário.

Leia aqui a matéria completa.

Fonte: WWF Brasil (http://www.wwf.org.br/)

Lançado no Rio documentário sobre sustentabilidade em prática

25/09/2016 18:31

downloadCentro RIO+ da ONU, com apoio da Escola Nacional de Seguros e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), reuniu, quarta-feira (21/09), no Cine Odeon cerca de 470 pessoas para a estreia do documentário ‘CenaRIO: Sustentabilidade em Ação’. Produção exibe histórias de 16 pequenos empreendimentos sustentáveis do Rio e da Baixada fluminense.

Assista aqui ao documentário.

O documentário de 25 minutos, inteiramente gravado por aparelhos celulares por 30 alunos da Escola Nacional de Seguros, dá voz a iniciativas e empreendimentos criativos da região que implementam práticas mais conscientes em seus negócios, além de contribuir para a construção de um mundo mais sustentável e justo.

“Mesmo sendo um microempreendedor, você pode harmonizar a parte econômica com a ambiental e a social – o que sintetiza o desenvolvimento sustentável. O documentário quer mostrar que todos nós, como cidadãos, temos a responsabilidade de mudar a forma como consumimos, a forma como nos comportamos, e quer mostrar às pessoas que pretendem criar microempresas que é possível ter uma metodologia sustentável e economicamente viável e inteligente’’, disse a vice-diretora do Centro RIO+, Layla Saad.

“Através de uma forma simples e sustentável, é possível fazer a diferença. Por isso, resolvemos fazer o documentário com o celular. Nós temos aqui no Brasil, especialmente no Rio de Janeiro, onde foi o nosso foco, muitas pessoas criativas e inovadoras que, a partir de um pedaço de papel, por exemplo, criam coisas maravilhosas”, disse o coordenador da Escola Nacional de Seguros, José Antonio Varanda.

“A gente imagina que é preciso fazer coisas muito grandes para ser sustentável. As coisas pequenas que são valiosas acabam, às vezes, passando despercebidas, tais como separar o lixo adequadamente; não sujar as ruas; ter uma consciência em relação ao meio ambiente; e gerar emprego a outras pessoas que precisam”, disse Leonardo do Santos Fernandes, estudante e um dos envolvidos no projeto.

Leia a matéria completa aqui.

Fonte: PNUD, Centro Rio+.

 

  • Página 1 de 2
  • 1
  • 2