JÁ FEZ ALGUÉM SORRIR HOJE?

15/12/2016 12:56

12096392_450773115115522_2075610003495637689_n

 

Um grupo de amigos deu início ao projeto para distribuir gentileza entre as pessoas por meio de uma plataforma mobile, a “rede de gentilezas” Kind Me. No lançamento do app, eles foram à Avenida Paulista promover uma ação para incentivar as pessoas a serem mais gentis.

Os jovens levaram 200 pedaços de bolo para entregar dois para cada pessoa na rua. Um deles continha uma mensagem de gentileza para a própria pessoa. O segundo pedaço é para que o presenteado possa dar a outra pessoa de presente também, criando uma rede de gentilezas.

O problema da falta de gentileza sempre esteve na nossa frente, apenas colocamos nossas habilidades e tempo a favor dessa necessidade. Começamos a propor formas inusitadas de espalhar sorrisos pela cidade, que deram origem às ações nas ruas. Já realizamos quatro ações até hoje e todos que atingimos mostraram interesse em fazer parte dessa corrente”, explica Murilo Gasparetto, um dos idealizadores do projeto KindMe, que tem como proposta incentivar e tornar visível as atitudes gentis das pessoas.

Fonte: http://g1.globo.com/.

12079138_450984071761093_2628664230246398061_n12027628_450213871838113_2124722599415323807_n

Projeto Própolis transforma plástico de lixo eletrônico em coletores de energia solar.

26/09/2016 21:35

Projeto Propolis

Com o objetivo de reduzir o volume de plástico, oriundo de aparelhos eletroeletrônicos e baratear o custo de painéis solares, a Instituição Social Ramacrisna, em parceria com a Una, Uni-BH, UFMG e CDI, lançam o Própolis – Projeto Polímeros para a Inclusão Social. A iniciativa, que conta com o apoio da Cemig e da Fapemig, unindo desta forma os setores público, privado e terceiro setor, conseguiu desenvolver coletores a partir destes polímeros, o que reduzirá consideravelmente os custos dos coletores, ampliando o acesso a este tipo de energia a mais camadas da sociedade.

O público-alvo prioritário será formado por jovens sem experiência no mercado de trabalho que serão qualificados para atuar na confecção dos coletores solares. O objetivo final é que os participantes se apropriem da tecnologia, e passem a replicá-la, garantindo um processo autossustentável. 

Assista o vídeo para saber mais.

projetopropolis

Assista o vídeo.

Busca de recursos para construir a fábrica

A construção e administração da fábrica para a produção dos coletores ficará a cargo da Ramacrisna em razão da larga experiência na gestão de projetos de autossustentabilidade. Para o levantamento dos recursos, a instituição realiza, entre os dias 05/08 e 30/09 uma campanha através da plataforma Kickante. Para doar, basta clicar aqui.

Fontes: Ecoassist e Instituto Akatu