Animais Sinantrópicos: Pombos

ANIMAIS SINANTRÓPICOS: POMBOS

Os pombos abrigam-se e constroem seus ninhos em locais altos, como edifícios, forros de casas e beirais de janelas. Alimentam-se de grãos e sementes, mas também podem comer restos de alimentos. São importantes agentes em sistemas ecológicos, pois controlam os insetos e efetuam o plantio das sementes das plantas que consomem [15]. Entretanto, são considerados animais sinantrópicos, podendo transmitir algumas doenças. 

  • Não se deve alimentar os pombos: há o costume de alimentar esses animais em locais como praças, parques, residências, o que acarreta um aumento considerável dessa população. Assim, não alimentá-los é uma medida muito importante para que sua população permaneça controlada;
  • Algumas doenças são transmitidas através da inalação de poeira contendo fezes secas de pombos contaminadas por fungos.  Portanto, é importante limpar bem a área com os resíduos orgânicos dos pombos, evitando que haja suspensão de poeira;
  • A UFSC possui Ata de contratação de serviços de  desinsetização, dedetização, desratização, descupinização, desalojamento de pombos e morcegos e outros meios de controle de sinantrópicos (Florianópolis, Contrato 262/2016. Araranguá e Curitibanos Ata de Registro de Preços 025/2018.), que pode ser utilizada quando esses animais estiverem oferecendo algum tipo de risco à saúde da comunidade universitária. Caso for contratar a empresa admitida pela UFSC para fazer o controle de pombos é importante se certificar de que não ocorrerá procedimentos que impliquem na mortalidade destes animais [16].

 

Como proceder em situações que envolvam este animal:

1. O Animal está saudável ou aparentemente saudável em ambiente antropizado aberto (passeios, calçadas, passagens, ruas)?

Não se aproximar dos animais e entrar em contato com o DME/ PU, responsável pela ata de sinantrópicos.

2. O Animal está saudável ou aparentemente saudável em ambiente natural (área verde, córrego, mata ciliar) ou aparentemente natural aberto?

Se houver necessidade de informe de alguma situação que esteja em desconformidade com o comportamento animal, entrar em contato com a CGA informando a demanda, justificativa, local de ocorrência e contato para retorno (se necessário).

3. O Animal está ferido, aparentemente ferido, com dificuldade de locomoção ou comportamento errático?

 Como medida imediata entrar em contato com o Wpp Fauna do IMA e entrar em contato com a CGA informando a demanda, justificativa, local de ocorrência e contato para retorno (se necessário). Não se aproxime do animal tampouco tente resgatá-lo

4. O Animal está morto?

Não entrar em contato com o animal e telefonar para a gestão de resíduos da UFSC informando local de ocorrência.

5. O Animal está preso em ambiente confinado (incluindo salas)?

Prioritariamente manter o ambiente aberto para a saída do animal. Se não for possível ou o animal não sair,  entrar em contato com a CGA informando a demanda, justificativa, local de ocorrência e contato para retorno (se necessário). Para evitar reincidência, inserir telas ou cortinas nas janelas e aberturas.

Ocorrência com outras aves, clique aqui.

 

Ocorrência com ninhos de aves, clique aqui.

 

Ocorrência com ovos, clique aqui.

 

Referência:
https://ufscsustentavel.ufsc.br/manual-de-animais-da-ufsc/